The Number of The Beast 30 anos.

Já postei aqui sobre esse que pra mim é um dos maiores e melhores álbuns de Heavy Metal já lançados. Quero aproveitar então para falar um pouco da arte do disco, trabalho de  Derek Riggs que é o responsável por vários trabalhos do Iron Maiden.

Como todas artes dos álbuns do Iron Maiden durante os anos 1980 e início dos 90, ele foi pintado por Derek Riggs. A capa foi criada originalmente para a canção “Purgatory”, mas Rod Smallwood considerou de muito alto calibre para uma única versão single e decidiu guardá-lo para o The Number of the Beast. A arte original de 1982 inclui uma luz céu azul no fundo, isso foi um erro causado pela falta de qualidade das impressoras da capa do álbum, e mais tarde foi retificado e tornou-se negro quando o álbum foi remasterizado para CD em 1998.

O álbum foi também o centro da controvérsia, particularmente na América, devido a letra da faixa-título e arte da capa retratando Eddie controlando Satanás como uma marionete, enquanto Satanás também controla um Eddie menor. Smallwood explica que o conceito era de perguntar “quem é o realmente mal aqui? Quem está manipulando quem?

Abaixo a observação de Derek Riggs:

Finalmente consegui uma cópia boa o suficiente para trabalhar em … As cores nunca foram tão boas em qualquer outra versão lançada. As impressoras não conseguem representar bem as cores, então o original é um pouco mais descolorido. Eu consegui agora chegar ao que parecia quando eu o pintei. Estamos habituados a ter um tempo horrível com as impressoras de volta na década de 1980, elas nunca tem as cores coretas, modificando a ideia das cores originais. Esta pode ser a primeira vez que alguns de vocês já viram a cor. A figura do diabo era suposto ser deformada e distorcida olhando, mas eu não tive tempo suficiente para resolver isso, por isso só parece má anatomia mesmo Isso foi feito num correria ao longo de um fim de semana (dois dias e noites sem dormir) para o The number of the Beast capa do single. Quando o gerente viu que ele guardou para o álbum e me pediu para fazer outro para o single.”

Born Again

Após a polêmica sobre o mixagem do ao vivo Live Evil e a saída de Ronnie James Dio, e Vinny Appice da banda, Tony Iommi e Geezer Butler viram-se novamente sem vocalista e baterista. O escolhido para substituir Dio foi Ian Gillan, do Deep Purple, um dos maiores vocalistas da epóca. Gillan tinha acabado de sair de sua banda solo, para uma reunião do Deep Purple (que viria a acontecer só alguns anos depois) e estava livre para qualquer oferta. Bill Ward voltou e assumiu novamente a bateria.

Alguns blogs tratam como esse sendo um dos LP’s mais injustiçados pela crítica, mas o mesmo ficou em 4.o lugar nas paradas inglesas no primeiro mês após o lançamento. Canções novas viraram clássicos, como “Zero The Hero” e “Trashed”, que também viraram videoclipes. Até foi lançado com receio em 7 de agosto de 1983, receio que fãs do Ozzy não o ouvissem. Esse álbum pra mim tem uma particularidade, pois tínhamos um grupo de amigos que a cada LP novo adquirido, o mesmo era copiado em fita K7 pra galera. Esse foi um álbum que todos adquiriram, ninguém quis ficar com mesmo só em fita. Eu acho um trabalho completo, com músicas pesadas, agitadas e até uma balada “Born Again”. Infelizmente Born Again foi o único trabalho de Ian Gillan com o Black Sabbath, ele deixou a banda de 1984 para gravar o álbum Perfect Strangers com o MK2 do Deep Purple.

# Título – Duração
1. “Trashed” 4:16
2. “Stonehenge” 1:57
3. “Disturbing the Priest” 5:49
4. “The Dark” 0:46
5. “Zero the Hero” 7:33
6. “Digital Bitch” 3:40
7. “Born Again” 6:34
8. “Hot Line” 4:53
9. “Keep It Warm” 5:35

Todas as canções por (Iommi/Gillan/Butler/Ward)
Exceto “Hot Line” e “Keep It Warm” por (Iommi/Gillan/Butler)

Abaixo, gravações ao vivo da Turnê e Born Again.

Álbuns Clássicos: Defenders of the Faith (Judas Priest)

Defenders of the Faith é o nono álbum de estúdio da banda de heavy metal Judas Priest lançado em 1984, primeiramente em fita cassete e vinil. Esse álbum é considerado um clássico do heavy metal com sons pesados, rápidos e harmônicos.

Foram gravados videoclipes para as músicas “Freewheel Burning” e “Love Bites”.

“Rising from darkness where Hell hath no mercy and the screams for vengeance echo on forever. Only those who keep the faith shall escape the wrath of the Metallian… Master of all metal.”
A arte da capa ficou por conta de Doug Johnson (que também projetou o Hellion em Screaming for Vengeance) que retrata o Metallian, um carneiro de chifres agressivo, se portando como um tigre em um ataque. Metallian está aramado até os dentes e tem a forma de um tanque de guerra em ataque.
Eat Me Alive” foi listado na posição # 3 em “Filthy Fifteenthe Parents Music Resource Center, uma lista de 15 canções a organização encontrou mais censurável. Vou postar aqui sobre  o PMRC logo. O co-fundador do PMRC Tipper Gore afirmou que a música era sobre sexo oral com uma arma. Em resposta às alegações, Priest gravou a canção “Parental Guidance” no seu próximo álbum Turbo.
Todas as músicas foram escritas por Rob Halford, K.K. Downing e Glenn Tipton, exceto a música “Some Heads Are Gonna Roll”.

    “Freewheel Burning” – 4:22


    “Jawbreaker” – 3:25
    “Rock Hard Ride Free” – 5:34
    “The Sentinel” – 5:04
    “Love Bites” – 4:47
    “Eat Me Alive” – 3:34

    “Some Heads Are Gonna Roll” (Bob Halligan Jr) – 4:05
    “Night Comes Down” – 3:58
    “Heavy Duty” – 2:25
    “Defenders of the Faith” – 1:30

Faixas bônus de 2001

    “Turn on Your Light” – 5:23
    “Heavy Duty/Defenders of the Faith” (Ao vivo) – 5:26

Formação

    Rob Halford: Vocais
    Glenn Tipton: Guitarras
    K.K. Downing: Guitarras
    Ian Hill: Baixo
    Dave Holland: Bateria

Wish You Were Here Experience and Immersion Album Sampler

A banda Pink Floyd postou um preview e trailer para as novas edições “Experience and Immersion” de seu álbum clássico, Wish You Were Here. O trailer apresenta trechos de cada faixa do álbum remasterizado, incluindo músicas inéditas ao vivo e versões alternativas. Você pode ouvir as amostras abaixo.

Isto marca o segundo álbum a ser lançado em edições “Experience and Immersion” após Dark Side of the Moon, é parte de uma grande campanha de remasters Pink Floyd lançado este ano pela EMI sob o título “Por que Pink Floyd?“.

Álbuns Clássicos: Clutching at Straws (Marillion)

Ballantines Finest, Chivas Regal 18 Years, Famous Grouse, Glenmorangie Nectar D’or, escolhe um destes pra acompanhar esse álbum que pede um momento de reflexão, isolamento, um trabalho do Marillion que tem tudo para ser acompanhado bebendo um Whisky TOP.  Esse é o quarto álbum de estúdio da banda, é um álbum conceitual. Lançado em 1987, foi o último álbum com FISH, vocalista que deixou a banda em 1988. (Vamos lá, pra mim a última grande obra do Marillion). Embora comercialmente não tão bem sucedido como o predecessor de 1985 Misplaced Childohood – Clutching at Straws passou 15 semanas na parada de álbuns do Reino Unido, ainda chegou a número dois (o local mais elevado para um álbum de Marillion) e é considerado entre os melhores trabalhos da “era Fish” Marillion é por muitos fãs e críticos, e também por ele FISH, como ele afirmou em várias entrevistas .
Em 1999 ‘Versão Remastered”, com o adicional B-sides e demos foi lançado, com encarte detalhado de todos os membros originais.
Já postei aqui sobre Mark Wilkinson, o legal que a capa do álbum, os personagens que estão junto com Torch na capa, quase todos morreram em decorrência de problemas com o álcool ou tinham envolvimento grande com drogas, sendo estes descritos abaixo.
Da esquerda para a direita, na parte da frente:
* ‘Rabbie’ Robert Burns: Poeta escocês que morreu aos 37 anos devido a complicações de saúde que foram potencializadas devido ao abuso de álcool;
* Dylan Thomas: Poeta galês que morreu aos 39 anos que morreu em decorrência do alcoolismo, e que no dia de sua morte teria ingerido 18 doses de uísque;
* Truman Capote: Escritor norte-americano que morreu aos 59 anos, após uma combinação de álcool, pílulas e drogas;
* Lenny Bruce: Comediante e satirista social norte-americano que morreu aos 40 anos devido a uma ouverdose de heroína.
Na parte de trás da esquerda para direita:
* John Lennon: o único que não morreu em decorrência de problemas com álcool, mas que todos sabemos muito bem o quanto esteve envolvido com este e as drogas durante sua vida;
* James Dean: Ator norte-americano e um dos ícones do cinema dos anos 50, que morreu aos 24 anos em um acidente automobilístico, em que estava provavelmente embriagado;
* Jack Kerouac: Poeta Beat que morreu aos 47 anos em decorrência de uma cirrose.

 

Lado A:
    “Hotel Hobbies” – 3:35
    “Warm Wet Circles” – 4:25
    “That Time Of The Night (The Short Straw)” – 6:00
    “Going Under” – 2:47 (not on the original vinyl LP)
    “Just For The Record” – 3:09
    “White Russian” – 6:27
Lado B:
    “Incommunicado” – 5:16
    “Torch Song” – 4:05
    “Slàinte Mhath” – 4:44
    “Sugar Mice” – 5:46
    “The Last Straw” – 5:58
    “Happy Ending”
Disco dois versão remasterizada
    “Incommunicado” (Alternative Version) – 5:57
    “Tux On” – 5:13
    “Going Under” (Extended Version) – 2:48
    “Beaujolais Day” – 4:51
    “Story From A Thin Wall” – 6:47
    “Shadows On The Barley” – 2:07
    “Sunset Hill” – 4:21
    “Tic-Tac-Toe” – 2:59
    “Voice In The Crowd” – 3:29
    “Exile On Princes Street” – 5:29
    “White Russians” (Demo) – 6:15
    “Sugar Mice In The Rain” (Demo) – 5:54

Álbuns Clássicos: Love (The Cult)

Love é um álbum da banda de rock inglesa The Cult, esse álbum foi lançado em 1985 pela Beggars Banquet Records. Lançado em quase 30 países, ele vendeu cerca de 2,5 milhões de cópias. Foi responsável pelo sucesso comercial da banda no Reino Unido e mundial. Esse foi um vinil que esmerilhou algumas agulhas do meu toca-discos. Esse trabalho fez a banda sair que meio do anonimato do cenário punk/rock/gótico para ser conhecida no mundo inteiro.Difícil de quem viveu nos anos 80, pelo menos não ter escutado pelo menos uma vez “She sells Sanctuary”. Algumas músicas como “Love” e “Brother Wolf,  Sister Mon”, valem a pena serem escutadas. Ótima aquisição na época.

 Todas músicas por Ian Astbury and Billy Duffy
    “Nirvana” – 5:24
    “Big Neon Glitter” – 4:45
    “Love” – 5:35
    “Brother Wolf, Sister Moon” – 6:49 (Philippines version runs 5:18)
    “Rain” – 3:55
    “The Phoenix” – 5:06
    “Hollow Man” – 4:45
    “Revolution” – 5:20
    “She Sells Sanctuary” – 4:23
    “Black Angel” – 5:22

She sells Sanctuary
Love

Brother Wolf, Sister Moon

 …
Spent a long time on this road
Spent a long time in this town
Spent a long time in the wrong road
Spent a long time in this town
Gonna drive away in a big fast car

Olha só que legal, o relançamento desse trabalho em vinil de 180g. Coisa fina pra colecionador e fã mesmo.

Label: Vinyl 180, Vinyl 180, Beggars Banquet
Catalogo: VIN180LP013, VIN180LP013, VIN180LP013
Formato: Vinil LP, Remastered, 180g
Vinil, 12 “, Single, Remastered, 180g
Todos Media Edition, Limited
País: Reino Unido
Lançado em: 03 de março de 2009
Gênero: Rock
Estilo: Rock Alternativo, New Wave

Álbuns Clássicos: Van Halen (Van Halen)

O que dizer desse álbum, ele é considerado um dos melhores e mais famosos álbuns de hard rock e heavy metal de todos os tempos, sendo aclamado tanto por críticos, quanto pelo público. Eddie é muito habilidoso com sus guitarra,sendo que foi elevado ao mais alto patamar da história da guitarra, popularizando também a técnica de Tapping, técnica já postada aqui no blog. O solo de Eruption é fantástico, Eddie influenciou milhares e milhares de guitarristas atuais, entre eles Steve Vai, Joe Satriani, Zakk Wylde e os já falecidos Dimebag Darrell e Randy Rhoads. Um excelente disco, rock e heavy do melhor quilate, que lançou a banda e fez com que hoje seja considerada uma das melhores bandas americana de todos os tempos.

Lado A

1.     “Runnin’ with the Devil” 3:36
2.     “Eruption” (Instrumental) 1:43


3.     “You Really Got Me” (Ray Davies) 2:39

4.     “Ain’t Talkin’ ‘Bout Love” 3:50


5.     “I’m the One” 3:47

Lado B

1.     “Jamie’s Cryin'” 3:30


2.     “Atomic Punk” 3:02
3.     “Feel Your Love Tonight” 3:45

4.     “Little Dreamer” 3:23


5.     “Ice Cream Man” (John Brim) 3:20
6.     “On Fire” 3:01

Integrantes:
    David Lee Roth: vocal e guitarra acústica
    Eddie Van Halen: guitarra, guitarra elétrica, vocal de apoio
    Michael Anthony: baixo, vocal de apoio
    Alex Van Halen: bateria


Segundo à RIAA, o álbum vendeu mais de 10 milhões de cópias somente nos Estados Unidos, tornando-se um dos álbuns de estreia mais vendidos no país, recebendo também o Disco de Diamante. Em 19 de setembro de 2000, uma versão remasterizada do álbum foi lançada pela Warner Bros. Records, melhorando significativamente a qualidade do áudio de todas as faixas, além de apresentar todos os trabalhos de arte originais da versão de vinyl.