The number of the beast

Aproveitando, já que a vinda do Iron Maiden, novamente gera um frenesi, nos desinformados e nos bitolados, lá vem aquela história novamente que a banda que canta e invoca o demônio está chegando ao solo brasileiro. Quanta besteira, antes de gerar mais polêmicas, a música nada mais era que uma alusão de Stevie Harris ao filme A Profecia, que relatava a história de um menino que era o filho do demônio, cujo o número da besta 666 estava na cabeça do garoto. Pronto, explicado. Vale também lembrar que este foi o último registro do baterista Clive Burr.

Me pergunto, de que artificios a mais pessoas desinformadas ou mal intencionadas, podem utilizar para se aproveitar de determinados fatos. Deu pra cabeça, todo mundo é crescido e tem sua crença. Se creio em Deus basta, não preciso mais que isso. Desculpa, mas tenho muito mais medo de político safado, que desvia dinheiro de hospitais, e deixa crianças e dontes morrerem, do que uma música, seja ela o significado que tiver.

Desculpa, mas é foda, pois tem uns fanáticos de umas crenças esquisitas que gostam de tentar aparecer, pois em virutude de serem minúsculas, esta é uma oportunidade ímpar.

Back again, abaixo a letra traduzida, pra quem tiver paciência de ler a mesma, pois cantada no vozeirão do Bruce, estas simples linhas se tranformam em algo supremo, algo para ser ouvido.

O Número da Besta


“Ai de vós, ó Terra e Mar,
pois o Demônio envia a besta com ódio,
Porque ele sabe que o tempo é curto…
Deixe aquele que compreende reconhecer
o número da besta porque é um número humano
Seu número é seiscentos e sessenta e seis.”

Saí sozinho, minha mente estava vazia
Precisava de tempo para pensar e para tirar as memórias de minha mente

O que eu vi, posso acreditar?
Que aquilo que eu vi naquela noite era real,
e não apenas fantasia.

O que eu vi, nos meus sonhos antigos,
Eram reflexos da minha mente distorcida olhando para mim

Porque nos meus sonhos, está sempre lá
A face do mal que retorce minha mente e me leva ao desespero
Yeah!!!

A noite estava negra, não dava para se esconder
Porque eu tinha que ver, alguém
me observando
Na névoa, formas escuras se moviam e se retorciam,
Tudo isso era real, ou só algum tipo de inferno?

Seis, seis, seis, o número da besta.
Inferno e fogo nasceram para serem liberados.

Tochas foram queimadas e cânticos sagrados foram elogiados
Como eles começam a chorar, apertando as mãos em direção ao céu
Noite adentro, os fogos queimavam brilhantemente
O ritual começou, o trabalho do Satanás estava feito

Seis, seis, seis, o número da besta
Está havendo sacrifício esta noite

Isto não pode continuar, devo informar a lei
Pode ainda ser real, ou apenas um sonho louco?
Mas me sinto atraído pelas hordas que cantam o mal,
Elas parecem hipnotizar… Não posso evitar seus olhos

Seis, seis, seis, o número da Besta
Seis, seis, seis, o número pra mim e você.

Estou voltando, vou retornar
Possuirei seu corpo e o farei queimar
Eu tenho fogo, tenho o poder
Eu tenho o poder para fazer o meu mal seguir adiante

Nesse vídeo a apresentação no Rock in Rio em 1985, observe aquele “Ao Vivo” no canto, esse eu presenciei.

Esta versão é a do DVD/Bluray Flight 666 em HD. Vale como comparativo, são mais de 25 anos entre as duas apresentações.

UP THE IRONS  \m/

English Version:
Advantage, since the coming of the Iron Maiden, again generates a frenzy, the uninformed and narrow-minded, here comes that story again that the band that sings and summons the demon is coming to a Brazilian soil. What a mess, before generating more controversy, the music was nothing more than a hint of Stevie Harris the film The Omen, which told the story of a boy who was the son of the devil, the beast whose number was 666 in the boy’s head . Ready explained. It is also worth remembering that this was the last recording of drummer Clive Burr.

I wonder, what artifices the most misguided or malicious, can use to take advantage of certain facts. Gave to the head, everyone’s grown up with their belief. I believe in God, and simply do not need more than that. Sorry, but I’m much more afraid of crooked politicians who divert money to hospitals, and leaves children and do not die, than a song, be it the significance it has.

Leaving the outburst, but has some weird beliefs are fanatics who like to try to appear, because in his tiny virutude be, this is a unique opportunity.

Back again, the letter translated below, for those who have the patience to read it, as sung in the booming voice of Bruce, these simple lines to Turn to something supreme, something to be heard.

 
Anúncios

Um comentário sobre “The number of the beast

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s